outubro 07, 2008

Pra não ficar em branco o dia

Há um mês, mais ou menos, comecei um curso de Libras, por solicitação work-related, e estou adorando.

Não dá pra estabelecer uma conversa longa e intensa, mas estou aprendendo.

E hoje eu precisei ajudar uma menina com deficiência auditiva (ela usava o aparelhinho na orelha, e provavelmente tinha um percentual muito baixo ou quase nada de audição. Tecnicamente um surdo é diferente de um deficiente auditivo, mas, na prática, tanto um quanto outro requerem uma certa atenção diferenciada. Mas voltemos.) e mesmo semi-analfabeta em Libras (que é uma língua, com regras e sintaxe própria, que a difere do Português) consegui entendê-la e consegui me fazer entender e conseguimos resolver a questão.

É claro que demorei muito mais tempo soletrando as palavras (lembram do a-de-amor-bê-de-baixinho-cê-de-coração da música, aquela? É esse mesmo!!) do que se soubesse o equivalente em sinais para cada palavra, mas o importante foi que pude ver na prática como uma coisa tão simples pode causar tão grande impacto na vida das pessoas.

4 comentários:

emir disse...

legal essa tua sensibilidade, as pessoas não têm mais tempo pra isso nesses tempos.

Vica disse...

Eu gostaria de aprender isso. Muito legal da tua parte.

Melissa Barbosa disse...

Bah, mto tri! Sempre quis fazer curso de libras!!!

A Autora disse...

É muito muito legal, sabe. Acabei de sair da aula e é como se alfabetizar de novo. Cada palavra tem um sinal, e é muito divertido fazer a relação entre o movimento das mãos com o significado.

Eu tou adorando.

Nesse colégio onde tenho as aulas, o curso é aberto a ouvintes que queiram aprender, então se algum de vcs quiser se inscrever, me peça que eu passo o contato.

Bjs