setembro 30, 2007

Ufa!

Começo agora a assentar a poeira do lançamento. Aliás, d'O Lançamento. A fila de autógrafos estava na rua. E ficou na rua até umas nove e pouco da noite, enquanto as pessoas ainda chegavam.

(Sim, haverá fotos. Assim que chegarem em mim eu publico. Não, eu não estava tirando fotos. Contratamos um fotógrafo. Aliás, uma fotógrafa. Fofa, querida e, ao que me parece, no clima da coisa toda.)

Como pode-se imaginar, não consegui dar atenção a ninguém, mas conversei com todo mundo, ao menos alguns segundos.

Sim, deu pra cansar o braço (já cansado de carregar as caixas com os livros até o taxi. Afinal, ser escritor sem mecenas é isto, é também carregar as próprias caixas até o lançamento.) de tanto dar autógrafo. Sim, deu pra ficar alegrinha do vinho que, ainda bem, só começou a fluir com mais frequência depois de uma certa hora. Sim, deu pra cansar, deu pra chorar, deu pra sorrir.

Algumas pessoas que eu achava que iriam não foram. Tudo bem, eu entendo, não se preocupem
que o livro de vocês está guardadinho. Algumas pessoas que eu nem pensava que iria encontrar, foram. E me deixaram contentes, obrigada. E àquelas que me disseram que iriam e foram, muito obrigada! Vocês me deixaram muito felizes!

E no fim faltaram fotos a serem tiradas, e faltaram palavras a serem ditas, e faltaram frases a serem escritas, mas isso é assim mesmo. Nunca é perfeito como a gente imagina. Mas é sempre, sempre bom!

2 comentários:

Leonardo Manoel Paredes disse...

Dona,

Teça, mas não tenha pressa não, sei que há muito o que fazer...

Só peço brevidade numa coisinha de nada: me explica essa história de linkar?

Achei lindo o seu blog!

bjs

camel disse...

eu disse que não ia e não fui! (mas é tudo culpa do sistema!) beijo!