junho 23, 2009

Testezinhos que nós amamos!

Bem, ao menos eu amo. Desde os tempos de Capricho, lá nos idos de milenovecentos-e-guaraná-de-rolha. (não, isso não é uma data verídica, mas é lá no século passado)



Aí eu encontrei este aqui, lendo este blog, onde cheguei por meio do Flickr dela, que nem sabe que eu existo, mas quem admiro muuuuuuito. (as cores, os ângulos, o enquadramento, as escolhas são sempre muito lindas.)



Aí eu fiz o teste. E descobri que sou "O Vampiro de Curitiba", de Daltron Trevisan. Ver resultado aqui.



O resultado:



Descolado, objetivo e realista. Cult. Você deve se sentir mais à vontade longe
de shoppings, da TV e de qualquer coisa que grite “cultura de massa”. Nada de
meias palavras: a elas, você prefere o silêncio. Você não vê o mundo através de
lentes cor-de-rosa, muito pelo contrário. Procura ver o mundo como ele é,
entendê-lo, senti-lo. Às vezes, bate até aquele sentimento de exclusão, ou de
solidão. Mas é o preço que se paga por ser um pouco "marginal". Não se preocupe,
pois você atrai a admiração de pessoas como você: modernas no melhor sentido da
palavra.
Em "O vampiro de Curitiba" (1965), Nelsinho protagoniza uma
variedade de contos, nos quais ele busca satisfazer sua obsessão sexual vagando
pelas ruas de Curitiba - paralelamente, esta cidade de contrastes se revela ao
leitor. A temática e a forma já denunciam: este não é um livro para qualquer um.
Tem que ter cabeça aberta para enfrentar a linguagem nua e crua de Trevisan, que
é reverenciado pelo leitor capaz de driblar velhos ranços burgueses.


Alguém mais pode fazer o teste? Morri de curiosidade para saber quais são os outros livros da lista. Aposto que sai um Paulo Coelho por aí, só falta saber quem. (Ihihihihihihih)

3 comentários:

Srta. Fanti disse...

Hola Pucca Mia!
Cá estou para contribuir e assim demonstrar meu prestígio para com a senhorita que o merece deverasmente!!!
Fiz o teste e meu resultado foi... tcham tcham tcham: "Doidas e santas", de Martha Medeiros

Moderninha e solteira, ou radiante de véu e grinalda? Eis a questão da jovem (ou nem tão jovem) mulher profissional, cosmopolita e, apesar de tudo, muito romântica. Eis a sua questão! Confesse: quantas horas semanais você gasta conversando sobre encontros e desencontros sentimentais com as suas amigas? Aliás, conversando não. Analisando, destrinchando... Mas isso não quer dizer que você só questione a existência de príncipe encantado, não. A vida adulta hoje não está fácil para ninguém, como bem mostram as 100 crônicas de "Doidas e Santas" (2008), que retratam os sabores e dissabores da vida sentimental e prática nas grandes cidades.
Tu acha que combina comigo??!?
Beijocas mil....

A Autora disse...

Ufa, Cíntia!
Martha Medeiros é melhor que Paulo Coelho!

Te mandei dois emails, olha lá.

Beijo

Bia disse...

Bah Cris, acho Martha Medeiros bem equivalente ao Paulo Coelho. Pra mim deu dois, um inclusive, para o meu azar, é esse da Martha.