março 27, 2008

Muito chique

Em busca de um vestido para o casamento, caminhei pela cidade inteira, entrei em todas as lojas - das mais chiques às mais simplinhas - e nada.

Aí fui ao shopping e entrei numa loja muito legal e lá fui eu em busca dos modelitos. Separei três e no caminho para o provador aproveito para perguntar à vendedora (simpatissíssima, como eu nunca imaginei que poderia ser numa loja dessas) o preço dos vestidos.

Sentem-se primeiro. Segurem-se na cadeira. Prontos? Lá vai. Dois mil e quatrocentos reais. Ok, ok, eram uns trezentos e alguma coisa. Mas a parte do dois mil está certa.

Espantada, pergunto o motivo do vestido custar tão caro. Ela, super atenciosa, me explicou que o vestido era de seda pura, bla bla bla, e que o corte era ótimo, bla bla bla. Ainda pensei, bem, se é tão caro, e se é tão bom, e tudo, então o vestido tem que ficar perfeito. No mínimo.

Certo? Errado. Ficou todo engruvinhado (isso é uma palavra?) na altura do seio, e o zíper lateral criou umas lombadinhas horríveis, e a saia, bem, apenas digamos que corte ótimo não significa necessariamente caimento ótimo.

A vendedora ainda ficou tentando disfarçar, mas estava vísivel que ela também ficou decepcionada com o resultado do tal vestido perfeito. Todos os outros - os "baratinhos", se comparados com o preço do "perfeito", ainda que way far from my budget - ficaram ótimos. Um não era uma cor que me favorecesse (lembrei da comunidade do orkut, da luz que favorece, alguém sabe sobre o que fala mesmo?) - coral não é uma cor que fique bonita em pessoas, ok, talvez só em paredes de Miami -, outro era muito parecido com o vestido que já tenho (e, bem se é pra comprar uma coisa quase igual a outra que eu já tenha, que não seja sapatos e vestidos pretos, bem, então é melhor não comprar, certo?), e daí teve um* que, ah sim!, ficou lindo e perfeito e não tão decotado assim (sim, porque comigo não tem essa de não-decote definitivo, a menos que seja uma blusa gola alta, e qualquer micro-decote já vira um super decote, due to my naturally big breast - which I'm very proud of, diga-se) e, melhor, versátil. Sim, porque o que mais estava me matando era saber que um vestido iria custar caro e que eu teria poucas chances de poder usá-lo em outras ocasiões, ou por ser chique demais ou por ser formal demais.

E aí todos os problemas se resolveram. E meus pés até que pararam de doer um pouco. E eu comecei a pensar que as coisas estão dando muito certo, afterall!

* São altas as chances de haver fotos na sequência. Stay tuned!

Um comentário:

Virgínia disse...

Fiquei curiosa pra ver!